Nunca na história o mundo teve tanta informação como hoje. Estudos dizem que um simples pen-drive de 32GB possui mais dados que qualquer pessoa na Idade Média conheceria ao longo de sua vida. A velocidade e o processamento dessas informações gerou um leque de escolhas e opções com as quais as empresas ainda têm dificuldade em lidar.

É nesse cenário de complexidade e agilidade que as práticas de Compliance vêm ganhando relevância como um dos principais aliados da administração. Comply, em inglês, significa “agir conforme a regra”. Sua tradução é bastante literal. Composta por uma série de práticas e normas, visa a garantir que todas as áreas de uma empresa cumpram normas estabelecidas por leis, órgãos regulatórios e pela própria empresa.

Entre as diversas razões pelas quais a implantação de um Programa de Compliance bem estruturado e efetivo é fundamental, está o aumento da percepção de valor de uma empresa pelo mercado. Quando acionistas, fornecedores e prestadores de serviço têm a percepção de que a empresa adota e pratica as regras que prega em seu dia a dia, os profissionais daquela empresa são mais valorizados e o próprio negócio tende a aumentar seu valor. Assim, em uma eventual operação de venda do negócio, existe uma tendência de aumento do valor da venda, já que possíveis riscos e danos financeiros e administrativos tendem a ser pequenos, identificados e controlados, fazendo com que seja possível ao vendedor cobrar mais pelo negócio e aumentando a disposição do comprador em pagar mais.

Muitas empresas parecem saudáveis mas, muitas vezes, carregam uma grande quantidade de problemas de diversas naturezas que, às vezes, nem a própria administração conhece em sua integralidade. Assim, durante um processo de venda, uma auditoria legal bem feita irá identificar os problemas e, consequentemente, reduzir o valor do negócio. Por outro lado, caso os problemas não sejam identificados, o comprador poderá ter que enfrentar problemas que não conhecia.

A adoção de boas práticas de Compliance atenua esses riscos. Ao propor uma série de práticas que têm a transparência e a legalidade como princípios fundamentais, a imagem da empresa melhora. Esse processo é interno, envolvendo colaboradores, investidores, fornecedores e outros stakeholders, e pode ser visto, por exemplo, na formulação de contratos mais específicos e seguros. Além disso, as áreas de crédito de instituições financeiras têm feito uma análise cada vez mais criteriosa de empresas com demanda de recursos, buscando mitigar prejuízos que possam aparecer.

Como visto, a adoção de práticas de Compliance auxilia as empresas a melhorarem sua imagem interna e externa, aumentando o valor do negócio.

Rodrigo Moreira Pinto Beraldo
Sócio do escritório Negreiro, Medeiros & Kiralyhegy Advogados